"Autores Porto/Post/Doc" em Sundance, Roterdão e Berlim

por Porto/Post/Doc / 20 01 2017


Nas primeiras três edições do Porto/Post/Doc, o festival exibiu diversos autores fundamentais do cinema contemporâneo. Estes autores têm prosseguido as suas carreiras. Agora que 2017 iniciou, também começam a ser conhecidos vários programas dos principais festivais de cinema do primeiro trimestre do ano. Nestes festivais, alguns desses "autores Porto/Post/Doc" apresentam novos filmes. Mas também filmes que passaram pela última edição do festival são exibidos nestas importantes montras.

No Festival de Sundance - o maior e mais reputado festival a realizar-se em território americano - dois desses autores apresentam novos filmes. Matthew Heineman - que apresentou, na Competição de 2015 do Porto/Post/Doc, o polémico Cartel Land - estreia agora City of Ghosts na competição de documentários norte-americanos. O filme é um thriller internacional que nos apresenta às novas guerras do Século XXI: a guerra pelas ideias e pela visibilidade na Internet, seguindo um grupo de atividas, "Raqqa is Being Slaughtered Silently", na sua luta contra o ISIS. Ainda em Sundance, o cineasta americano Matt Wolf apresenta a sua mais recente curta-metragem, Bayard & Me, que segue as memórias do ativista negro Bayard Rustin pelo olhar do seu companheiro Walter Naegle. Este filme volta a utilizar imagens de arquivo para preservar uma memória, tal como Wolf já apresentara no Porto/Post/Doc 2014 com Teenage, uma história sobre o conceito da adolescência.

Matt Wolf estará também presente no Festival de Roterdão com o mesmo filme - Bayard & Me -, na secção de curtas-metragens sob a temática "Black Rebels: Let Love Rule". Mas vários filmes exibidos no Porto/Post/Doc 2016 vão também ser exibidos no festival holandês: Ascent, de Fiona Tan; Fonko, de Lars Lovén, Lamin Daniel Jadama e Göran Hugo Olsson; Gimme Danger, de Jim Jarmusch; Kékszakállú, de Gastón Solnicki; e Mimosas, de Oliver Laxe.

Na secção do Forum do Festival de Berlim, serão exibidos filmes de Albertina Carri (Cuatreros), que mostrou Los Rubios, na secção Memoirs do Porto/Post/Doc 2016; e da dupla Verena Paravel e Lucien Castaing-Taylor (Somniloquies), motivo de uma retrospetiva do Sensory Ethnography Lab também em 2016.

 


Tags:
Partilhar: Facebook / Google+ / Twitter
← Notícia anterior Próxima notícia →