Foco Peter Mettler

por Catarina Maia, Daniel Ribas / 11 11 2017


Peter Mettler (nascido no Canadá, mas também de nacionalidade suíça) é uma das figuras centrais do cinema de vanguarda canadiano. Ao lado de grandes autores como Atom Egoyan, Jeremy Podeswa ou Bruce McDonald, com quem chegou a trabalhar como diretor de fotografia, Mettler iniciou a sua carreira nos anos 80, em Toronto, e desde então vem deixando a sua marca na história do cinema mundial. Misturando o documentário, o filme experimental, o ensaio pessoal e o diário de viagem, a obra invulgar de Mettler é uma investigação imersiva dos processos sinuosos do conhecimento humano e da realidade.

O seu primeiro filme, Scissere (1982), centrado sobre a busca da identidade, foi o primeiro trabalho de um estudante de cinema a ser selecionado para o Toronto International Film Festival. Mas o fulcro do seu trabalho está nos três filmes que serão exibidos neste Foco. Neles, Mettler aprofunda e aperfeiçoa o seu método de interrogação sobre o mundo. Partindo de um olhar sobre alguns fenómenos ou indagações particulares – como a aurora boreal, em Picture of Light, ou o tempo, em The End of Time – em Gambling, Gods, LSD alcançamos uma linha de associação livre e ensaística sobre o que nos rodeia, sobre a possibilidade de transcendência e a relação que, em última instância, o cinema pode ter connosco próprios.

Nos últimos anos, Mettler tem procurado desenvolver uma outra linha artística, que está para além do cinema, tendo mesmo se envolvido na criação de um software de mistura de imagem para performance ao vivo. Será um fruto dessa vertente da sua carreira que veremos também neste Foco: a performance Yoshtoyoshto, criada juntamente com o músico Franz Treichler, dos The Young Gods, e o antropólogo Jeremy Narby.

Filmes a exibir:
- Picture of Light
- The End of Time
- Gambling, Gods, LSD

Performance audiovisual:
Yoshtoyoshto


Tags: / / /
Partilhar: Facebook / Google+ / Twitter
← Notícia anterior Próxima notícia →